quarta-feira, 28 de março de 2012

Fojo do Lobo de Germil


O Fojo do Lobo de Germil, localizado no vale de Germil reapareceu depois dos incêndios de há dois anos atrás. As paredes de pedra do Fojo infelizmente não se encontram no melhor estado de preservação mas felizmente ainda se pode contemplar de como seria o fojo.  


A relação do homem com o lobo foi sempre marcada pela perseguição. Para combater o carnívoro  todos os meios eram válidos e alguns implicavam grande engenho e dispêndio de energia. Os fojos do lobo são um exemplo. Construídos no meio da serra, com paredes  de pedra com dois metros de altura, implicavam a mobilização de toda a aldeia. Toneladas de pedra eram transportadas em carros de bois com um único fim, dizimar o lobo que lhes atacava os rebanhos.


Fojo de paredes convergentes 

Os fojos existem apenas no norte da Península Ibérica e são basicamente de dois tipos – de cabrita e de paredes convergentes. Nos primeiros, de  forma circular, era colocada uma cabra que servia de engodo para atrair o lobo. Os de paredes convergentes, constituídos por duas paredes que convergem para um fosso, implicavam uma batida que envolvia toda a aldeia e, por vezes, as aldeias vizinhas. Os batedores conduziam o lobo para o fojo e este acabava por cair no fosso, previamente dissimulado com vegetação.


Fojo de Cabrita 

No início do século XX, com a vulgarização do uso do veneno e das armas de fogo, os fojos deixaram de ser usados e foram esquecidos. A acção do tempo, o vandalismo e a pilhagem de pedras contribuíram para a sua degradação. No final de 1999 foi criada a associação Fogiun Lupal, um grupo de trabalho ibérico com o objectivo  de inventariar, caracterizar e conservar os fojos.  Para Francisco Álvares, membro do Grupo Lobo e um dos mentores da associação, a conservação dos fojos é imperiosa. “ São testemunhos únicos da arquitectura rural que simbolizam a relação ancestral do homem com o lobo na Península Ibérica”


A nossa associação elabora visitas guiadas ao local


Saudações Montanheiras 


Carlos Moreira 


Fonte: Ecotura 

segunda-feira, 26 de março de 2012

Workshop de Socorrismo


A associação Péd`Rios irá realizar na sua sede em Germil 

Workshop de Socorrismo
 Domingo 06 de Maio 2012

Programa
16:00 Recepção dos participantes na sede Péd`Rios em Germil
16:30 Suporte Básico de Vida (SBV)
17:30 Posição Lateral de Segurança (PLS)
18:30 Desobstrução das vias aéreas
19:00 Resumo e final do workshop 


Introdução e monitorização do Workshop:
Introdução do workshop pelo presidente da associação Carlos Moreira e monitorização pela formadora Luísa Ferreira da Escola de Socorrismo da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP)
Valor por participante:
A partir dos 12 anos – 1 Euro
NOTA:  As receitas revertem para despesas do workshop


Contactos: Sede 258 587 062       E-mail: pederiosgeral@gmail.com    
Organização : Péd`Rios Associação Cultural Recreativa e Desportiva  - Germil – Ponte da Barca 


Convívio Primaveril Germil - 07 de Junho


A associação Péd`Rios irá realizar na sua sede em Germil 

 Convívio Primaveril 2012
 Quinta-feira dia 07 de Junho  

Programa
15:00 Recepção dos participantes na sede Péd`Rios em Germil
15:30 Jogos tradicionais de exterior
17:00 Churrasco convívio
18:30 Apresentação multimédia: 
Resumo das actividades realizadas em Germil no primeiro trimestre 2012
19:30 Fim do convívio primaveril


Inclui para todos os participantes:
Acesso as instalações Péd´Rios, jogos tradicionais de exterior, churrasco, salada mista, pão, sumo, água, monitores e apresentação multimédia.  
Jogos tradicionais
Os jogos tradicionais serão elaborados no exterior do edifício.

Valor da actividade por participante:
Até aos 10 anos-  Gratuito
A partir dos 10 anos – 2 Euros

NOTA:  As receitas revertem para despesas do convívio 

Contactos: Sede 258 587 062       E-mail: pederiosgeral@gmail.com    
Organização : Péd`Rios Associação Cultural Recreativa e Desportiva  - Germil – Ponte da Barca 





terça-feira, 20 de março de 2012

BTT Germil - Lobios

No passado sábado dia 17 de Março,  oito amigos da associação Péd´Rios percorreram em BTT (bicicleta de montanha) 32km desde a aldeia de Germil até o balneário de Torneiros em Lobios. 


Grupo no inicio do passeio na associação Péd´Rios


O ponto de partida foi desde a associação Péd´Rios em Germil onde tivemos a oportunidade de conhecer a aldeia de Germil efectuando uma pequena paragem no moinho de Portomalho.



Passagem pelo alto de Vergaço 

 O vento frio e alguns aguaceiros acompanhados de granizo foram o menu do dia mas não impediu a nossa equipa de continuar a viagem. 

A descer todos os santos ajudam 

O sol também apareceu para nos dar o ar da sua graça e nos iluminou na maior parte do nosso trajecto. 

Pequeno acidente em Brufe  

Passando pela aldeia de Brufe um dos nossos amigos, o Sequeira, acelerou demais e sem ainda sabermos porque, embateu com a BTT do Paulo danificando assim a forque-ta da BTT acabando por abandonar a viagem. Sem hesitar chamamos o carro vassoura para recolha do participante e ficamos com menos um elemento que felizmente sofreu pequenas escoriações na perna esquerda. 


                                                Upss...nada a fazer venha uma forque-ta nova  

A viagem continuou sem grandes incidentes apesar da BTT do Paulo mostrar resistência,o desviador da BTT teimava em funcionar mas com alguma genica e habilidade do "Mecânico" se remediou o problema.  

No decorrer do trajecto tivemos oportunidade de contemplar a albufeira de Vilarinho das Furnas e parar na albergaria Stop no Campo do Gerês para repor as forças com uma sopa e uma sande de carne assada regada com superbock. 

Depois de um grande tombo do nosso amigo Ricardo  

Na passagem pela mata da Albergaria o Ricardo foi surpreendido com uma rocha escorregadia que o obrigou a travar originando assim um tombo desajeitado que obrigou a largar a BTT. No dia seguinte o nosso amigo sentia uma dor quando respirava fundo, sinal de uma possível costela fracturada. Ainda não sabemos o resultado do exame mas esperamos que não seja grave. 

Mata da Albergaria 

Ponte sobre o Rio Homem 

 Chegamos a fronteira de Portela do Homem sem mais incidentes e seguimos pela via romana da Serra do Xúres onde tivemos a oportunidade de acelerar pois era sempre a descer. 

Via romana  

Chegando a aldeia de Torneiros aproveitamos para tomar um banho e relaxar os músculos no balneário de Torneiros. 


Foto do grupo e das devidas assistentes  

No final do nosso passeio de 32km seguimos em direcção a aldeia de Germil onde aproveitamos para lanchar na associação. No dia seguinte elaboramos uma visita a pé pela aldeia de Germil onde os participantes tiveram a oportunidade de visitar o relógio de sol, o moinho e ribeiro de Portomalho, o filão de quartzo e as poças da Relva. 

Obrigado a todos pela vossa participação

Saudações montanheiras 
Carlos Moreira 

Fotos e texto de Carlos Moreira 

sábado, 10 de março de 2012

Cabanas e Mina de Poulo - Germil


Hoje pela alvorada enquanto esperava pela carrinha do padeiro perto da curva do Ribeiro do Real, passou pela calçada a D. Maria de Fátima com as suas vacas raça barrosã e em conversa transmitiu que hoje ia levar as vacas a pastar nos campos de Poulo e até me convidou para ir com ela pastar as vacas e para me mostrar as cabanas e a mina lá existente. 

Campos de Poulo com as Penedinhas ao fundo
Vista de Germil de Cima 
Fiquei curioso pois não sabia da existência das cabanas e transmiti a D. Fátima que a acompanhava. Como não tinha a máquina fotográfica em meu poder fui numa pressinha a sede da associação na minha bicicleta buscar a máquina para poder registar o momento.

Campos do Poulo

Os campos de Poulo pertencem a vários proprietários de Germil e estão divididos por muros de pedra em forma de socalcos. A maior parte dos campos estão abandonados mas ainda existem pessoas que aproveitam os campos para o cultivo de feno para as cortes das vacas. 

Fidalga, Bonita e Linda devorando erva fresca  

Durante a minha aprendizagem como pastor de vacas fiquei a saber que as vacas barrosãs são na maior parte das vezes teimosas e algo curiosas e pude presenciar tal facto pois uma das vacas parecia uma gazela em busca da melhor erva tentando galgar os campos não autorizados como pasto (cultivo de feno). Uma das vacas até deitou uma vedação ao chão e galgou com toda a força pelos campos “proibidos”. 

D. Fátima a tentar manter a ordem
Foi de rir ver a D. Fátima a correr atrás da vaca e a gritar com ela dando-lhe o castigo merecido, uma vergada das fortes. Atrás da vaca teimosa seguiram-se as restantes todas eufóricas e a tentar fugir da D. Fátima mas em poucos minutos e com alguns gritos pelo meio as vacas se agruparam a pastar no devido lugar.  

A Bonita a planear a sua fuga 
A Pipoca sempre a alerta
A "Cabana" superior de Poulo 
A "Cabana" inferior de Poulo com o tecto abatido
As chamadas “cabanas” foram construídas há mais de um seculo pelas gentes de Germil e ainda são utilizadas para abrigar os agricultores ou pastores nos dias de chuva, principalmente em dias de tempestade com aguaceiros fortes. As cabanas foram construídas através de escavação manual e reforçadas com uma estrutura em pedra que as torna mais solidas e duráveis e algo especiais pois normalmente estes abrigos “cabanas” são simplesmente escavados na terra sem qualquer outra estrutura de suporte. 

Mina de Poulo 
A mina de Poulo também foi construída a mão pelos habitantes de Germil e serve ainda hoje para obter água para rega e também como fonte pois a água é leve e fresquinha. Em qualquer encosta de Germil encontram-se dezenas de minas como esta. Na altura em que foram construídas as minas, a população de Germil era basta e a água por vezes nem chegava para tantos campos cultivados. 

Germil de Baixo 

Campos de Poulo 
Campos de Poulo

A nossa associação elabora visitas guiadas ao local.

Saudações montanheiras
Carlos Moreira  

Texto e fotos de Carlos Moreira 









terça-feira, 6 de março de 2012

Filão de Quartzo em Germil


 Filões de Quartzo 
Nas fracturas podem circular soluções aquosas quentes (fluidos hidrotermais), de origem magmática ou outra, permitindo a precipitação de minerais que, assim, constituem os chamados filões hidrotermais. Estes são, em geral, consideravelmente mais longos que espessos (tipicamente, 100 a 1000 vezes).

A circulação de fluídos enriquecidos em sílica permite a formação de filões e filonetes de quartzo, de ocorrência frequente na área do PNPG, sobretudo no granito de Gerês. Eles encontram-se, por vezes, a preencher zonas de falha. O movimento ao longo da falha provoca esmagamento do material silicioso, dando-lhe, dessa forma, um aspecto de brecha. Ao quartzo associam-se, por vezes, óxidos de ferro ou sulfuretos disseminados.


Filão de Quartzo em Germil 
O quartzo é o segundo mineral mais abundante da Terra (aproximadamente 12% vol.), seguindo-se aos feldspatos. Possui estrutura cristalina trigonal composta por tetraedros de sílica (dióxido de silício, SiO2), pertencendo ao grupo dos tectossilicatos. O seu hábito cristalino é um prisma de seis lados que termina em pirâmides de seis lados, embora frequentemente distorcidas e ainda colunar, em agrupamentos paralelos, em formas maciças (compacta, fibrosa, granular, criptocristalina), maclas com diversos pseudomorfos. É classificado como tendo dureza 7 na Escala de Mohs. Apresenta as mais diversas cores (alocromático) conforme as variedades. Sem clivagem, apresentando fractura concoidal. O nome "quartzo" é de origem incerta, sendo a mais provável a palavra alemã "quarz", que por sua vez será de origem eslava.
Os mineiros que trabalham na extracção de quartzo podem sofrer de uma doença denominada silicose.
Filão de Quartzo em Germil
Aplicações e utilizações
Areia para moldes de fundição, fabricação de vidro, esmalte, saponáceos, dentífricos, abrasivos, lixas, fibras ópticas, refractários, cerâmica, produtos electrónicos, relógios, indústria de ornamentos; fabricação de instrumentos ópticos, de vasilhas químicas etc. É muito utilizado também na construção civil como agregado fino e na confecção de jóias baratas, em objectos ornamentais e enfeites, na confecção de cinzeiros, colares, pulseiras, pequenas esculturas etc.

Algumas estruturas de cristal de quartzo são piezoeléctricas e usadas como osciladores em aparelhos electrónicos tais como relógios e rádios.

Filão de Quartzo em Germil
A nossa associação elabora visitas guiadas ao local. 

Saudações Montanheiras 

Carlos Moreira 

Fotos de Carlos Moreira 
Textos Fonte -  ICNB / DCT Universidade do Minho / Wikipédia