segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Péd´Rios no cume Chancal de La Ceja 2428m


Dia 25 de Fevereiro de 2012 pelas 14h00 Carlos Moreira leva a bandeira do Péd`Rios ao ponto mais elevado do distrito de Salamanca.


A Serra de Candelario / Bejár forma parte do círculo montanhoso de Castilla e Léon. Ocupa a vertente setentrional do Sistema Central pela rota Salmantino, fronteira da Extremadura. 


O pico mais alto é denominado como Chancal de La Ceja com 2428m de altitude sendo o ponto mais elevado de Salamanca. A serra de Candelario / Bejár é um espaço natural protegido declarado em conjunto com a Sierra de Francia, Reserva da Biosfera.


Desde a plataforma del Travieso localizada a 1900m de altitude iniciamos a nossa caminhada de 6 horas por um trilho bem marcado que nos levou ao planalto de Cuerda del Calvitero. 


Desde o planalto podemos visualizar as lagoas Del Trampal e Del Duque onde aproveitamos a paisagem para lanchar e relaxar. Chegamos ao cume por volta das 14h00 acompanhados de um dia recheado de sol e vento gelado e como é de praxe aproveitamos para tirar umas fotos de grupo com as bandeiras das duas associações.  


Esta actividade foi elaborada em conjunto com a associação Péd`Rios e do N Aventuras Clube de Montanhismo.

Saudações Montanheiras
Carlos Moreira 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Convívio de Carnaval 2012 - Germil

Na passada terça-feira a associação Péd`Rios organizou na sua sede "Convívio de Carnaval 2012" onde estiveram presentes habitantes da aldeia de Germil e da aldeia de Paradela. 

Local do convívio de Carnaval 2012
Como era de esperar no convívio tivemos a presença de aproximadamente 30 pessoas que tiveram a oportunidade de conviver, jogar e rir a gargalhada. 

Nuno e Patrícia como animadores apresentaram o primeiro jogo da tarde
O programa principal do convívio consistiu em animar a malta com jogos tradicionais. Escolhemos jogos de salão que se adaptaram perfeitamente ao tipo de participantes presentes. De entre todos os jogos os mais preferidos pelos participantes foi o jogo da Cabra Cega com Varinha e o jogo dos Contrários. 

Jogo "Passa a Palavra" 
Participantes felizes e contentes 
Joel explicando o jogo dos Contrários 
Jogo da Roda 
Assistentes atentas e felizes 
Sr. António Lobo habitante mais idoso de Germil 
Patrícia explicando o jogo "Estafeta com colher" 
Jogo "Estafeta com colher "
Jogo da Cabra Cega com Varinha 
O lanche merecido  
No final dos jogos fomos presenteados com um lanche oferecido pela Junta de Freguesia onde tivermos oportunidade de conviver e falar sobre futuras acções com a colaboração da associação Péd`Rios. 

Um forte abraço a todos os presentes e obrigado pela vossa simpatia e disponibilidade neste convívio. 

Saudações Montanheiras 

Carlos Moreira 

Fotos de Carlos, Joel e Nuno
Texto de Carlos Moreira 

























O ressuscitar do Moinho de Portomalho

Em Agosto do ano passado numa das minhas caminhadas pela Serra Amarela tive o prazer de conhecer um pastor que me contou sobre a existência de "um magnifico e bonito Moinho de Rodízio" localizado em Germil bem na curva do Ribeiro de Portomalho que servia para a população moer o milho.


Local do Moinho ainda coberto por silvas e mato 
Depois do pastor me contar histórias bizarras sobre a utilização do moinho pelos habitantes de Germil, fiquei curioso com este facto e desloquei-me ao local para poder visualizar o moinho mas foi de todo impossível  pois o moinho estava coberto com silvas e mato, o pastor já me tinha avisado " se o conseguir ver será uma sorte". 

André Monteiro em trabalhos de limpeza
Desde o dia que tive conhecimento da existência do moinho, sempre que passava por Germil na curva do Ribeiro de Portomalho dizia aos meus acompanhantes "ali existe um moinho de rodízio só é pena os habitantes não limparem o local pois dizem que o moinho é bonito" 

Nuno e André na operação "Ressuscitar do Moinho de Portomalho"

A limpeza do moinho já andava na minha mente há algum tempo e após a inauguração da sede Péd`Rios em Germil passei a acção e perguntei ao Sr. António Danaia, proprietário do café e do único estabelecimento em Germil,  sobre o proprietário do moinho para possível limpeza e restauração. O Sr. António Danaia passou a informar que "são muitos os proprietários e que alguns estariam em França e que não seria fácil conseguir a autorização " 


Limpeza em curso com aparecimento da entrada do moinho

O Sr. António Danaia tinha razão quando disse que "não seria fácil conseguir a autorização " ainda bem que não disse "impossível" e com a ajuda do Sr. João Pereira e Sr. António Danaia, consegui saber o nome dos proprietários do moinho para poder falar com os mesmos sobre esta operação "Ressuscitar do Moinho de Portomalho" 

Aparecimento da torre e telhado do moinho 
A "reunião" com os proprietários e alguns representantes do moinho foi a porta do café da aldeia. Ao todo e pelo que pude perceber o moinho tem no mínimo 5 proprietários onde a passagem para alcançar o moinho pertence a outro proprietário. Depois de meia hora de esclarecimentos e após expor o pretendido pela nossa associação sobre a  operação "Ressuscitar do Moinho de Portomalho", todos os presentes concordaram e autorizaram a limpeza do moinho oferecendo assim ajuda e materiais necessários para esta acção. 

Limpeza da face norte do moinho 

De imediato e antes que os proprietários mudassem de ideia, contactei o André Monteiro (vice-presidente da associação Péd`Rios) e o Nuno (habitante de Germil) para iniciar os trabalhos da operação "Ressuscitar do Moinho de Portomalho". 

Munidos de uma roçadora, duas sacholas, dois ancinhos, uma forca e um alicate de poda iniciamos os trabalhos de limpeza.  

Ferramentas utilizadas para limpeza do moinho 

Depois de 5 horas de trabalhos o moinho "ressuscitou" toda a estrutura estava a descoberto. Notou-se alguma emoção da nossa equipa de limpeza, estávamos emocionados e satisfeitos com a nossa acção e como dizia o pastor "um magnifico e bonito Moinho de Rodízio" surgiu por entre a vegetação. 


O caudal assim desviado segue por uma caleira (ou levada)  
Moinhos de Rodízio 

O registo mais antigo que se conhece e que alude ao moinho de água de roda horizontal, encontra-se num epigrama de Antipratos de Salónica, o qual se presume date de 85 a.C.. Contudo, existem outros registos, nomeadamente arqueológicos, os quais apontam para a existência deste sistema na Dinamarca no século I a.C., e mencionado num poema na China do ano 31 da nossa era. Já relativamente ao moinho de água de roda vertical, é pela primeira vez mencionado por Vitrúvio numa obra datada de 25 a.C.. 


A roda horizontal à qual se chama rodízio, é composta por um conjunto de palas dispostas radialmente, as quais recebem a impulsão do jacto de água que nelas bate. A difusão deste tipo de engenhos hidráulicos foi muito rápida por toda a Europa, devido à profusão e características dos cursos de água aí existentes. 


Na época medieval a sua posse era essencialmente um privilégio dos senhores feudais, os quais cobravam pesados impostos a quem os utilizasse. O aumento da cultura dos cereais por parte de pequenas comunidades rurais, levou à crescente expansão principalmente dos moinhos de roda horizontal ou rodízio.

Sistema de Moagem 

Em Portugal, a introdução dos moinhos de água deve-se presumivelmente aos Romanos, sendo o moinho de rodízio aquele que mais se difundiu, principalmente nas regiões do norte do país. A sua utilização subsistiu até aos nossos dias e segundo o autor Jorge Dias, existiriam em Portugal no ano de 1968, cerca de 10.000 moinhos ainda em actividade, dos quais aproximadamente 7.000 seriam de água e destes 5.000 seriam de rodízio.


Sistema de moagem - Moega (gamelão), Quelha (telha), Tramela (cachorro) e mó.   
O edifício do moinho construído em pedra, à semelhança da maior parte dos moinhos tem dois compartimentos: o inferior onde trabalha o rodízio (compartimento esse conhecido por “inferno”) e o superior onde funciona o sistema de moagem e onde o moleiro passava a maior parte do tempo, dispondo apenas de duas aberturas: a porta de entrada virada a Nascente e uma janela voltada a Norte.

Entrada do moinho 

O trabalhos de recuperação ainda estão em curso, o rodízio do moinho infelizmente apodreceu mas já temos candidato para construção de um novo rodízio. Esperamos em breve poder ver a mó deste bonito moinho em acção de trituração do milho. 

A merecida placa local informativa 
Carlos, Nuno e André depois da limpeza do moinho 
Gostaria de deixar um agradecimento a todos os proprietários e pessoas envolvidas nesta operação "Ressuscitar do Moinho de Portomalho".  

Saudações Montanheiras 

Carlos Moreira 

Texto de Carlos Moreira 
Fonte: Livro de minha autoria “Moinhos e Moleiros de Cernache” editado em 2007 pela Câmara Municipal de Coimbra. 







Placas Informativas - Ribeiros de Germil

No inicio do corrente mês, a associação Péd`Rios adquiriu algumas placas informativas para colocação na sua sede e surgiu a ideia de podermos elaborar mais algumas placas informativas para identificar os ribeiros que nascem a montante da aldeia de Germil, na Serra Amarela.

Carlos colocando uma placa no ribeiro de Chão da Ponte  
Depois de me certificar com os habitantes de Germil sobre o nome correcto dos ribeiros e depois das devidas autorizações para colocação das placas , pedi a colaboração do Nuno (habitante de Germil) para me dar uma ajuda nesta acção de colocação de placas informativas. 

Placa informativa no Ribeiro de Chão da Ponte 
Ribeiro de Chão da Ponte
Placa informativa no Ribeiro do Real
Ribeiro do Real 
Ribeiro de Portomalho 
Carlos e Nuno depois da colocação da placas informativas  
Com esta acção os visitantes de Germil têm agora a oportunidade de poderem saber os nomes dos 3 principais ribeiros que passam pela aldeia de Germil. 

Saudações montanheiras 

Carlos Moreira 
Fotos e texto de Carlos Moreira 



segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Limpeza do Relógio de Sol de Germil


Limpeza do Relógio de Sol de Germil

Durante uma conversa com os habitantes de Germil, na Eira de Germil de Baixo, tive o prazer de conhecer a D. Maria da Assunção proprietária do espigueiro ou canastro onde esta colocado o “Relógio de Sol” de Germil.

Relógio de Sol de Germil antes da limpeza (foto, cortesia de Isabel Felgueiras)
Em conversa aproveitei para perguntar a D. Maria se seria possível efectuar uma limpeza ao relógio de sol pois o mesmo encontrava-se coberto de musgo seco. A D. Maria com a sua simpatia aprovou a limpeza do relógio de sol e até se disponibilizou a ajudar disponibilizando assim uma escada para podermos ter acesso ao relógio.


Nuno em processo de limpeza
Mais uma vez convidei o Nuno (habitante de Germil de Baixo ) que se disponibilizou a ajudar na limpeza deste bloco granítico. O bloco trabalhado à mão tem a imagem da cabeça de um homem. É desconhecido o escultor e data em que foi realizada a imagem.


Após a limpeza ao Relógio de Sol 
Munidos das ferramentas necessárias para este tipo de intervenção e acompanhados de uma brisa fresca da montanha, lá fizemos a limpeza do relógio que durou apenas 20 minutos. O resultado foi o esperado e agora já temos o “Relógio de Sol” de Germil asseado e sorridente.
Estado actual do Relógio de Sol de Germil 
Conforme transmitido pelos habitantes de Germil, o relógio servia para controlar o horário da partilha de água entre a aldeia de Germil e a aldeia de Sobredo. Todos os dias ao pôr-do-sol retiravam a tranca da levada para a água poder correr até a aldeia de Sobredo e as 11h00 do dia seguinte, controlando a hora através do relógio de sol, fechavam a tranca da levada para a água regar os campos de Germil de Baixo. E assim, este foi durante anos o processo de partilha de água com a utilização do “Relógio de Sol” de Germil.  

A nossa associação elabora visitas guiadas ao local.

Saudações montanheiras
Carlos Moreira
Fotos e texto de Carlos Moreira    

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Anta de Germil


Anta de Germil 
Os dólmens são monumentos megalíticos tumulares colectivos (datados desde o fim do V milénio a.C. até ao fim do III milénio a.C., na Europa, e até ao I milénio, no Extremo Oriente). O nome deriva do Bretão dol = mesa e men = pedra. Também são conhecidos por antas, orcas, arcas, e, menos vulgarmente, por palas. Popularmente, são também por vezes designados por casas de mouros, fornos de mouros ou pias. 

Anta de Germil 
Os dólmenes caracterizam-se por terem uma câmara de forma poligonal ou circular utilizada como espaço sepulcral. A câmara dolménica era construída com grandes pedras verticais que sustentam uma grande laje horizontal de cobertura. As grandes pedras em posição vertical, denominados esteios ou ortóstatos, são em número variável entre seis e nove. A laje horizontal é designada de chapéu, mesa ou tampa. Existem câmaras dolménicas que chegam a ter a altura de seis metros. Quando a superfície da câmara dolménica não supera o metro quadrado, considera-se que é um monumento megalítico denominado cista.
Anta de Germil 
Ao que tudo indica, os dólmenes apresentavam outrora sempre encobertos por um montículo artificial de terra, geralmente revestidos por uma couraça de pequenas pedras imbricadas, formando aquilo que se designa por uma mamoa ou túmulos.
Corga da  Rerva 
A nossa associação elabora visitas guiadas ao local.
Saudações montanheiras
Carlos Moreira 
Fotos de Carlos Moreira 
Fonte Wikipédia 

Pegada de Nossa Senhora


Pegada de Nossa Senhora

Diz o povo de Germil que, quando a Nossa Senhora passou pela Laje da Fraga de Germil deixou uma pegada numa grande laje que lá existe.


Para os entendidos esta “pegada” poderá ser uma depressão rochosa natural que deu origem à forma de uma pegada. Outros dizem que foi escavada há mais de um seculo. O mistério fica mas que lá existe, existe!


A nossa associação elabora visitas guiadas ao local.

Lenda da pegada da Senhora do Verde 

Noutro lugar perto de Alcalar no Algarve também apareceu na fonte de Senhora do Verde uma pegada e diz o povo que "qando a Nossa Senhora apareceu na fonte de Senhora do Verde deixou uma pegada numa grande pedra que lá há. Via-se muito bem que era uma pegada de mulher.  E toda a mulher levava lá um sapato a ver se servia, mas não serviu nenhum, Toda a gente se admirava de não haver um sapato que servisse ali. E lá estava a pegada, nunca se estragou. 
Ia lá muita gente, juntavam-se ao domingo e as mulheres diziam, vamos lá ver se o meu sapato serve, mas nada, nenhum casava ali”.

Saudações montanheiras
Carlos Moreira 
Fotos de Carlos Moreira 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Convívio de Carnaval

Convite 
Dia 21 de Fevereiro das 16:00 às 20:00, a associação Péd`Rios irá organizar na sua sede em Germil  "Convívio de Carnaval 2012". 
O convívio esta aberto a todos os habitantes da aldeia de Germil e também aos habitantes das freguesias do município de Ponte da Barca.  


No nosso convívio iremos "dar musica" e como entretenimento teremos animação com jogos tradicionais. 
A entrada é gratuita! 
Nota: O lanche será por conta de cada participante em regime de "Multa". 
Vem divertir-te com a gente de Germil e conhecer a nossa sede! 

Saudações Montanheiras 
Carlos Moreira 


Pôr-do-sol em Germil / Sunset in Germil



Giadela  / Carvalhinha 



Vale do Lima 


 Carvalhinha ao Luar / Moonligth
Fotos de / Photos by Carlos Moreira