sexta-feira, 1 de junho de 2012

Estr. CM 1348 - Curva da Broca - Barreiras Protectoras?


Quem passa por esta estrada estreita a serpentear pela serra acima, deixa-nos imaginar como seria remoto o lugar de Germil antes de existirem modernas vias de comunicação e meios de transporte. Numa cota perto dos 600 metros, apercebemos-nos já das características que marcam uma típica aldeia serrana, onde um maior isolamento face a outras povoações, obriga a sua população a uma vida mais comunitária. 

Vale de Germil - Estr. CM 1348
Esta estrada de montanha oferece-nos paisagens deslumbrantes do vale do Rio Germil e da Serra Amarela e além de tudo oferece-nos também uma estrada com curvas estreitas, declives e desfiladeiros abertos com curvas aéreas que param a respiração do utente na sua primeira passagem. 

A famosa "Curva da Broca"
Aqui a montanha domina o território. O granito rasgado pela estrada de forma irregular abraça-nos num ambiente rústico e até sinuoso mas seguro se viajarmos de noite pois assim não vemos o abismo. As quedas de pedra são frequentes principalmente nos dias de chuva forte mas a sinalização lá esta, basta ter cuidado. As barreiras de protecção e sinalização de curva perigosa não existem até nos locais mais estreitos em que uma inversão de marcha esta fora de questão. Aqui a montanha domina o território, sente-se na forma de abismo. 

Joel colocando fitas de segurança 
Na recepção da associação Péd`Rios localizada em Germil, param muitos sócios,  turistas e amigos que vêm de visita ou só pela curiosidade de conhecer Germil. A maior parte destes visitantes automaticamente efectuam o seu comentário sobre a sensação de insegurança que tiverem ao passar pela Estr. CM 1348,  principalmente na passagem pela curva da Broca. Já tive visitantes, principalmente do sexo feminino, que recebi com ar pálido e assustado da viagem pela Estr. CM 1348, pedindo água e solo seguro. Ao contrário outros que viajam de todo-terreno, moto e BTT até elogiam a Estr. CM 1348 pois tem muita adrenalina. 
Resumindo em estatísticas Péd´Rios sobre a Estr. CM. 1348, esta estrada atormenta mais de 70% dos usuários tanto na descida como na subia. Aqui a montanha domina o território!

A famosa "Curva da Broca"
A pedido de alguns visitantes e sócios que visitam Germil e a associação Péd´Rios, eu e o Joel Pereira colocamos barreiras de protecção artesanais com fitas e tudo para que os usuários desta estrada possam contornar a curva da Broca com mais segurança. 

Carlos fixando as fitas de segurança 
Já agora ficam aqui ficam alguns testemunhos dos nossos associados e amigos sobre a Estr. CM 1348: 

"... pois eu sou uma das que, sempre que possível, evito fazer essa estrada, precisamente por a considerar bastante perigosa por não tem qualquer protecção, não sentindo qualquer segurança. 
Claro que isto se complica se estivermos a falar em faze-la à noite, no Inverno e com geada, assim.... é mesmo impensável!!!!..." 
Raquel Fernandes - Secretária administração 

"....que se coloquem rails de metal cobertos de madeira (para não "ferir" a paisagem), em toda a estrada que vai desde Sobredo (Entre-Ambos-os-Rios) até Germil. Para a nossa segurança e dos demais que frequentam essa mesma estrada, quer amigos quer visitantes que se desloquem para a aldeia de Germil, como os proprios habitantes..."
Filipe Correia - Fotografo 

"....concordo plenamente também, pois já fiz essa estrada e senti imenso medo, para não dizer pânico, pois é realmente muito perigosa e transmite uma imensa sensação de insegurança. Só de pensar que tenho que fazer essa estrada penso duas vezes em visitar essa zona, que muito merece ser visitada...."
Elisabete Magalhães - Assistente dentária 

"....a estrada em questão é lindíssima mas perigosa. esta curva em particular obriga a enorme atenção e, caso cruzemos com outro carro que venha a descer, torna-se extremamente complicada..."
Pedro Valter - Comercial 

"...como os meus caríssimos amigos já comentaram anteriormente, a estrada que tem lindas paisagens torna-se um perigo pois é estreita e sinuosa, juntando tudo isto no mínimo se tivesse barreiras protectoras laterais era uma grande ajuda..."
Rui Ferreira - Empresário 

"... promoção e valorização das nossas terras, da nossa cultura e das nossas gentes passa antes de mais pelo acesso a essas terras e a essas gentes. No caso da aldeia de Germil, para se poder disfrutar da sua genuinidade, da sua beleza e conviver com os seus habitantes há que fazer antes e depois um percurso perigoso e rezar o caminho todo para que não venha um carro em sentido contrário em determinadas partes da estrada. Queremos eliminar esse perigo para podermos ter acesso ao que de melhor tem o nosso país. A quem de direito pedimos que intervenham no sentido de colocar barreiras protetoras, mas que estas não sejam um elemento estranho à natureza...madeira parecer-me-ia o mais apropriado...." 
Fátima Lisboa - Advogada 

"....Germil tem de facto todos os atributos turísticos que aliciam os mais curiosos pelo meio rural… é o meu caso! A sua beleza natural arrasta-me para apreciar cada recanto secreto, para descobrir as pessoas e a simplicidade que as caracteriza, para perceber os animais, para louvar o trabalho do campo, para sentir o cheiro tão peculiar da terra… enfim, para admirar toda a sua envolvência selvagem, que me obriga a voltar repetidamente!
No entanto, e porque “não há bela sem senão”, para alcançar este prémio, deparo-me com algumas resistências. São sempre os últimos quilómetros, decisivos, a circular no fio da navalha … são precipícios de suster a respiração e que nos obrigam a alienar das belíssimas vistas. Para não ser traída pela hipnose da paisagem todo o cuidado é pouco. Concentração aqui é essencial!
Porque existe o risco de sair da estrada onde: mal passa um veículo de cada vez e as curvas fechadas tornam a visibilidade escassa; a inclinação constante da estrada dificulta a aderência ao piso (na existência de gelo); as pedras arremessadas dos penedos causam insegurança; os rebanhos que uma vez por outra, sem contar, se cruzam no caminho; e para finalizar, como condição indispensável de segurança, a falta de dispositivos de proteção… este último fator torna-se decisivo para que Germil faça parte de mais uma visita para quem passa na região. Sem nada que delimite o que é estrada ou acostamento, a via torna-se especialmente perigosa.
De nada adianta ter os melhores atrativos do mundo se o caminho que nos leva até ao destino não oferece a devida segurança, porque aí, o que era para ser prazeroso torna-se perigoso e não vale a pena arriscar...." 
Luísa Campos Ferreira - Técnica de relações publicas. 


Saudações montanheiras 

Carlos Moreira 

Fotos de Carlos Moreira e Joel Pereira 
Texto de Carlos Moreira 



    




Sem comentários:

Enviar um comentário