quarta-feira, 28 de março de 2012

Fojo do Lobo de Germil


O Fojo do Lobo de Germil, localizado no vale de Germil reapareceu depois dos incêndios de há dois anos atrás. As paredes de pedra do Fojo infelizmente não se encontram no melhor estado de preservação mas felizmente ainda se pode contemplar de como seria o fojo.  


A relação do homem com o lobo foi sempre marcada pela perseguição. Para combater o carnívoro  todos os meios eram válidos e alguns implicavam grande engenho e dispêndio de energia. Os fojos do lobo são um exemplo. Construídos no meio da serra, com paredes  de pedra com dois metros de altura, implicavam a mobilização de toda a aldeia. Toneladas de pedra eram transportadas em carros de bois com um único fim, dizimar o lobo que lhes atacava os rebanhos.


Fojo de paredes convergentes 

Os fojos existem apenas no norte da Península Ibérica e são basicamente de dois tipos – de cabrita e de paredes convergentes. Nos primeiros, de  forma circular, era colocada uma cabra que servia de engodo para atrair o lobo. Os de paredes convergentes, constituídos por duas paredes que convergem para um fosso, implicavam uma batida que envolvia toda a aldeia e, por vezes, as aldeias vizinhas. Os batedores conduziam o lobo para o fojo e este acabava por cair no fosso, previamente dissimulado com vegetação.


Fojo de Cabrita 

No início do século XX, com a vulgarização do uso do veneno e das armas de fogo, os fojos deixaram de ser usados e foram esquecidos. A acção do tempo, o vandalismo e a pilhagem de pedras contribuíram para a sua degradação. No final de 1999 foi criada a associação Fogiun Lupal, um grupo de trabalho ibérico com o objectivo  de inventariar, caracterizar e conservar os fojos.  Para Francisco Álvares, membro do Grupo Lobo e um dos mentores da associação, a conservação dos fojos é imperiosa. “ São testemunhos únicos da arquitectura rural que simbolizam a relação ancestral do homem com o lobo na Península Ibérica”


A nossa associação elabora visitas guiadas ao local


Saudações Montanheiras 


Carlos Moreira 


Fonte: Ecotura 

6 comentários:

  1. Olá Carlos!

    Parabéns pelo vosso trabalho de pesquisa e de divulgação do património ancestral da cultura humana. Será um testemunho típico da relação do Homem com o lobo, apenas na Península Ibérica?

    ResponderEliminar
  2. Olá Florentino, na pesquisa que efectuei é mencionado que a existência destes fojos dá lugar só no norte da península ibérica. Já visitei vários parques naturais ou nacionais da Europa e realmente não vi qualquer evidencia da existência de fojos do Lobo, talvez só na península ibérica se praticava este acto.....

    Abraço
    Carlos

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde, pode-me dizer qual é a localização do fojo? Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Joca, o fojo esta localizado no vale de Germil. Se subir a estrada desde Entre Ambos-os-Rios em direcção a Germil a meio caminho depois da casa da floresta se olhar para a sua direita irá vizualizar os muros do Fojo. De qualquer maneira se me enviar o seu e-mail poderei informar-lo melhor. Saudações Montanheiras - Carlos Moreira

      Eliminar
    2. obrigado pela resposta, jorge.louro@gmail.com

      Eliminar
  4. Boa tarde, pode-me dizer qual é a localização do fojo? Obrigado

    ResponderEliminar